BLOG

11
DEZ'13
Feat. Aneph
Writers Bench #5
Lisboa é o alvo principal de muitos writers. Vêm de todos os cantos, de toda a parte do país.
 
Muitos deles mantêm-se activos nas suas zonas quase como no anonimato, mantendo as raízes de onde cresceram como writers.

Hoje apresentamos um dos writers mais dedicados à linha de Sintra, talvez apenas os mais atentos sabem o seu valor. É um dos mais activos, e tem feito o trabalho de casa, em casa.

O nosso convidado esta semana é o Ephan.


A linha de sintra trouxe muitos writers que marcaram o graff português, achas que o teu trabalho está a ganhar a sua própria marca?
Bom, não me cabe a mim dizer isso, quando comecei foi por gosto, continuo por gosto, com o passar dos anos se continuas activo no meio, é natural que o teu nome seja falado, mas isso é mais uma consequência do que se faz.
 
Como foi o teu início a pintar na famosa linha de sintra?
Tenho a sorte de pertencer aos primeiros a pintar na linha de sintra. As coisas eram diferentes, os spots estavam a ser descobertos, e estávamos todos a fazê-los e eramos muito menos, também era miúdo e tinha tempo para me dedicar a 100%, eram dias seguidos só a controlar e a pintar.
 
O teu inicio foi complicado devido à forte concorrência que havia na altura, isso estimulou-te a seres mais forte?
Não creio que houvesse forte concorrência, havia respeito pelos mais velhos que não eram muitos na linha de Sintra, que nos acolhiam, eramos os kids deles e havia humildade em aprender e pica em fazer sozinho e descobrir sozinho. Havia uma troca de experiências, todos se conheciam no meio, o maior estimulo vinha de ti mesmo, os anos passaram...
 
Muitos desses writers já não são activos como eram antes, hoje tu continuas activo, que tens a dizer sobre isso?
Lá está, os anos passaram, tenho pena que muitos não tenham continuado, tem de se gostar realmente, quando se começa a crescer, a trabalhar, tens menos tempos para te dedicar, não sei, se calhar é mais uma questão de escolhas e prioridades. Para mim continua a ser uma prioridade, faz parte da minha vida.
 
Gostarias que eles estivessem activos?
Isso é a escolha de cada um, eu faço a minha cena, se os outros continuam activos ou não é com eles. Passei bons momentos com muitos deles. Agora isso tem de partir deles.
 
Na street o que circula é: Ephan o homem dos End-to-Ends... Que tens a dizer sobre isso?
Isso é agora, já fiz muita coisa, agora era tempo de fazer E2E até me fartar.
 
Como estás a ver o train writing português? 
Em desenvolvimento, ainda somos relativamente novos em relação a países que levam há muitos mais anos com Grafitti. Temos bons writters de trains.
 
Quem achas q continua a elevar a fasquia, e quem achas que poderá vir a ser o futuro do graff português?
A Crew Reis tem trazido qualidade, o que faz elevar a fasquia. Agora o resto o tempo dirá.
 
Qualidade ou quantidade?
Eu voto em quantidade com qualidade, que nem sempre é possível, mas ao menos que haja essa tentativa.
 
As coisas agora andam diferentes, alguma razão especial?
Andam diferentes por varias razões. Hoje em dia tens aqueles que começam a pintar e começam logo a fazer comboios simplesmente porque é uma forma de terem um rápido reconhecimento, então tens muita quantidade de writters de trains mas pouca qualidade ou dedicação. A maioria é levado, ou vai ali porque sabe que é ali que se faz, já não existe um estudo prévio, o mexerem-se para descobrirem por eles mesmos e a real preocupação de manter um sitio por muito tempo. Tudo funciona há base do egoismo e por isso queimam-se spots que durante anos funcionaram.Depois a própria atitude das autoridades muda, porque temos muito mais gente a pintar, e a pintar sem preocupação nenhuma. É normal que a tendência com o passar dos anos seja de haver maior controle e penalização sobre este assunto. Por uns pagam outros.
 
O que temos de fazer para mudar essa situação?
É complicado, isso implicaria uma grande mudança de atitude, menos egoismo, maior companheirismo. 

Para além do clássico Sintra line algum outro modelo que gostes muito de pintar?
Gosto muito dos modelos espanhóis os Cercanias, mas no geral qualquer modelo que não tenha fico sempre entusiasmado.
 
E fora do país? Que modelos já pintas-te e quais gostarias de pintar?
Já pintei alguns, agora estar a dizer quais, os que quiser mostrar, vou mostrando e falam por si.
 
Metro diz-te algo? . 
Já disse, neste momento não controlo.
 
Para além dos Sintra line também te encontramos, na linha. Pintas com muita regularidade ?
Sempre que posso e haja feeling.
 
Wall of fame dá-te pica? Ou é a pura pintura de churrasco?
É mais churrasco, estar com os amigos e conviver, é uma oportunidade também para desenvolver técnica. 
 
Vês te a pintar até a 3ª idade?
Até quando puder...
 
Palavras de motivação para todos os writers.
Continuem com dedicação e amor ao que fazem, o resto são histórias.
 
Props:
À minha crew SKTR, SM, aos OTMS, REIS, Creyz, Hero, Raye, Lama.

ÚLTIMAS NOTICIAS