BLOG

27
NOV'13
Feat. Cola
Writers Bench #3
A nova escola de writers está na rua, cada vez mais reparamos na quantidade de tags, bombs e pieces novos.

Mas há nomes que saltam mais á vista que outros, COLA é sem dúvida nenhuma, um desses nomes. Não existe zona em que não esteja presente a actividade deste writer.

Da street para os trains, até chegar ao metro, é um dos writers mais activos do momento no graff português. Nós consideramo-lo um dos líderes da nova escola, e por isso sentamo-nos no Writers Bench para uma conversa. 

És dos writers mais activos nos dias que correm, nas ruas e não só, qual foi o teu caminho e o que te fez pintar?
Quando era miúdo vivia numa zona onde existia um wall of fame mítico, e como qualquer miúdo de 13 anos de bairro, esperava pelos restos para dar uns tags.

De onde vêm o tag Cola?
Na realidade, não sei..

A tua prioridade sempre foram comboios e metros, ou foste caminhando até chegares a este nivel de actividade? 
Nunca pensei muito nisso, comecei a pintar como qualquer puto, até descobrir a pica que me dava pintar um comboio e vê-lo girar, mais tarde conheci o metro.

Estás quase como um one man army, alguma razão em especial para essa situação?
Um crew é uma cena ultrapassada na tuga, não existem crews por amizade e sim por interesses acho eu...

Qual é a tua motivação para pintares?
Ver o meu tag em todo o lado, destacar-me na grande cidade.

O que te dá mais pica numa missão, consegues explicar-nos? 
O poder, atrofiar com os sugas, ir a sítios privados onde o comum dos mortais não vai, ver o pó do extintor no ar, rebentar condutas e portas de emergência, mas sobretudo a Adrenalina.

Comboios e metros, 2 das missões preferidas de qualquer writer. Comboios mais acessíveis a alguns, mas o metro não é para todos. O que faz o metro ser tão especial para ti?
Com a tua pergunta dou a minha resposta, o Metro não é para todos, é esse sentido de exclusividade e dificuldade que aguça a minha vontade. 

Com que frequência pintas o metro?
Com alguma, não tanta quanto gostava, normalmente pinto quando chega algum amigo estrangeiro ou quando chegam turistas, é uma mais valia para não espigar spots ahahaha.

Tens assim algum episódio que queiras compartilhar? 
Numa gélida noite de inverno eu e os meus amigos decidimos puxar o alarme do metro, assim que começamos a pintar saem dois ciganos de dentro do metro, passam a linha, e dizem bora, bora graffitar para a frente, lol, foi um bom episódio entre outros.

Problemas com a justiça, alguns ou nem por isso? 
Alguns, nada de mais, graffiti é na boa.

Numa outra vertente, a street, onde estas bem presente, é importante para ti estar presente na rua?
Claro, é o objectivo de qualquer writer, ver a sua marca por todo o lado.

Consideras-te um writer completo?
Sim, faço um bocado de tudo.

Que é o Graffiti para ti? 
Para mim o graff é muito mais que moda ou cena do momento. 

Como vês a competição, é algo que te motiva ou tens outra opinião? 
Motiva-me muito, é uma competição saudável. 

Além fronteiras, onde já deixaste a tua marca? 
Espanha, França e Alemanha.

Onde gostaste mais de pintar, qual achaste mais difícil e mais fácil? 
Sem dúvida o metro de Barcelona, onde pintei com amigos.

Alguns concelhos para quem seguir os teus passos?
Graffitar pá frente. 

Props?
Vyol, Ony, Dibé, Kiler, Afnin, Slick, Bufa, Snaque, Antuan, Shmok, Angis, Draz, Raiva e divisão da Psp Cp Metro. 

ÚLTIMAS NOTICIAS