BLOG

20
NOV'13
Feat. Risko
Writers Bench
Provavelmente o writer mais activo desde o primeiro dia em que agarrou numa lata, tem o nome que automaticamente te remete para a palavra graffiti - Risko!

Dispensa grandes apresentações, está presente desde sempre, influenciando gerações de writers, velhos e novos. Todos sabem quem está presente nas ruas a manter o graffiti vivo.

Estivemos juntos no Writers Bench para uma pequena conversa, enjoy.

Já lá vão muitos anos de carreira... Risko nasceu como?
O Risko nasceu da palavra riscar, que era algo que eu fazia frequentemente, e da palavra arriscar.  Eu associo o meu tag completamente a mim: viver esta vida de writer a 1000% e pintar à muitos anos sempre ilegal, é um Risko


O teu nome está em toda a cidade e arredores, norte a sul do pais. É um objectivo traçado ou amor puro?
No inicio foi um objectivo. Hoje em dia é simplesmente um amor/ódio puro. Amo tanto isto que me faz pintar e pintar. Odeio tanto isto que me dá noites e noites de insónias. Também odeio os problemas que o graff me deu/dá… por isso é um amor muito próximo do ódio.


És catalogado como um ALL CITY, vês-te como tal?
Sim vejo-me, a mim e às minhas crews.  Acho que isso é importante para mim como writer e pessoa. Faz me sentir vivo ao ver cenas minhas por onde passo.

 

Com tantos anos de graff, como fazes para te manteres activo e motivado actualmente?
Bem, sem querer ofender ninguém, ao contrário de muitos old writers que vivem o presente, só a falar do que fizeram no passado e que para eles isso chega, achando que merecem ser respeitados para todo o sempre, eu vivo o dia-a-dia sem pensar muito no passado, mas sim no presente e futuro. Ainda existe tanta coisa que eu quero fazer. Tantos spots que quero atingir, países que quero visitar, modelos que quero fazer. Isso e as minhas crews e amigos dão me a pica que eu preciso para o dia-a-dia. 

 

Para muitos writers és visto como um dos mais puros do graff. Como te sentes em relação a esse estatuto?
Sinceramente sinto-me honrado em ter esse estatuto. Mas tudo que faço é por love ao graff.


Voltando um pouco atrás… quando se fala de puro no graff, qual é a tua definição?
Alguém que pinta simplesmente pelo prazer e não por euros, como um membro da minha crew FYA diz - only for love.


Quem são para ti os puros em Portugal?
Todos com quem me dou e pinto no dia-a-dia.


Como vês a situação actual do graffiti em Portugal?
O graff tornou se uma constante no nosso dia-a-dia. É visto em todo o lado e não apenas nos spots em que antigamente se pintava. Isto tudo levou a que fossem criadas novas leis anti-graffiti, não pelo graffiti em si mas sim por aquilo que começou a ser feito. Por exemplo, os murais anti-governo que foram feitos não só como forma de protesto mas sim também para obter fama. Não sou contra estes murais apenas acho que isto não é graffiti mas sim trabalhos feitos com latas de spray e não se deviam misturar. Para mim graffiti é dar e receber… a maior parte, hoje em dia só quer receber. Tornou-se demasiado comercial.


Graffiti vs Street Art?
Épa… para mim graffiti é graffiti e o resto é o resto. Consigo gostar e respeitar de algum street art mas muito do graffiti que dizem que fazem por ai não passa de street art...



Tens algum tipo de agenda para o que fazes? Estilo: 2ª - parede da linha, 3ª - S-line, 4ª - Street?LOL, claro que não. Vou pintando quando calha, tento pintar no minímo uma noite por semana.



De tudo o que fazes, o que te dá mais prazer?
Tudo depende do que sinto no momento e da companhia, mas tento manter sempre o espirito vândalo.



Voltando aos largos anos passados, como vês hoje em em dia a nova geração?
As coisas mudaram muito desde que comecei a pintar, muitos writers vieram e muitos foram, mas poucos ficaram. Com pena minha muitos dos que me acompanhavam com o passar dos anos deixaram de pintar. Hoje em dia a competição é mais elevada e os estilos estão melhores e mais diversificados… o que é bom de se ver. A internet também ajudou/estragou e criou uma nova geração e maneira de ver e viver o graff, não tanto por amor mas sim por moda. Creio que muitos dos writers têm que voltar às origens, voltar a amar o graff simplesmente. Esta dica não é só para as novas gerações…



Um bom conselho para a nova geração?
Façam GRAFFITI, não por moda ou porque podem ganhar dinheiro mas sim porque amam pintar. Se fazem isto porque querem fama/euros - fuck off. Isto não é um negócio mas sim uma maneira de viver 24/7 para quem sente isto a sério. O real graff é na linha, na street e nos trains, a base do graff é e deveria ser sempre o respeito, a atitude e dedicação.



Música de action?
NTM - That’s my people,  tem um significado especial.



We will be here forever?
Acredito que sim...  daqui a  20 anos voltamos a falar!



Últimas palavras...
Round1, Fyas, Dbk we keep this shit real. Montana/MTN 1 love.


ÚLTIMAS NOTICIAS