BLOG

23
ABR'14
Feat. Chure
Writers Bench 16
Hoje o tema é wall of fame, uma vertente mais calma, onde a possibilidade de pintar é maior, mais tempo para pensar, criar, praticar e claramente mostrar o skill e técnica de uma forma única.
O nosso convidado está em grande destaque a nível nacional, e espera ter o mesmo destaque a nível internacional, falamos de Chure membro do novo grupo Thunders. Chure é um dos responsáveis pela evolução do graff de hall of fame em Portugal, e não quer apenas ficar por aqui, temos acompanhado o seu trabalho, e é notável como tem evoluído, Portugal precisa de mais Chures, vamos a isso.  


Em que ano surgiu o Chure e qual o significado?
O tag Chur aparece em 2001, quando um dia estava a fazer um sketch que consistia numa parede com Tags e bombs de pessoal que na altura estava com mais power em Lisboa, e à toa saco um lettering Chur e pensei: "Este tag soa mesmo a um tag de um gajo conhecido". Passado uns tempos juntei o E no final para compor o tag. Curiosamente parece-se com o meu nome verdadeiro.

Quantos anos de actividade?
Comecei em finais de 98.

Consegues explicar um pouco do teu início, até ao estado actual?
Quando vim estudar para Lisboa em 98, perguntaram-me se tagava (eu nem sabia vocabulário de graff nenhum), percebi o que era e disse que sim. Começou por moda, nao vou negar, mas foi veneno que tomei que durou até hoje. Evoluí sempre  juntamente com o Bray (felizmente até aos dias de hoje). Em finais de 2003 entro para LEG e foi o maior kick de motivação que levei na altura. Éramos muitos, em spots pequenos. Fazíamos pieces muito pequenos, mas isso deu-nos muito skill de traço e toque de lata. Houve períodos que fiquei desligado. Por exemplo, em 2007 praticamente nao pintei, mas foi importante para pensar no que andava a fazer e nao andar a pintar à toa. Hoje em dia, com uma nova crew formada, THUNDERS, acho que estou na minha melhor, mais motivada e mais activa fase. Espero que continue assim.

Sabemos que a tua maior actividade é em hall of fame, alguma razão especial?
Curto style, cenas que mostrem skill e acho que é onde consigo tirar mais partido e prazer.

Quando pintas, o que te dá mais prazer?
Dá-me um enorme prazer desenhar letterings, fazer degradés a fatcap, dar outlines bem largos a preto, acabar os traços bem finos, damn.

Como estruturas as peças que fazes?
Penso cada letra de forma a que isoladamente ela funcione, depois o embrulhar delas torna-se mais simples.

Como defines o teu estilo?
Nao sei. É um cocktail de varias influencias que tenho absorvido ao longo dos anos, mas que acho que facilmente me identificam nele.

Que tipo de pesquisa fazes para os teus projectos, onde te inspiras, que procuras para as tuas peças ficarem brilhantes?
Vejo muito hall of fame, ilustração e absorvo muita coisa do dia a dia. Traços limpos e degrades bem feitos é meio caminho andado para a tua peça ficar nice (a meu ver). Cada vez mais dou importância às cores no sítio certo e à sua junção. Durante muito tempo não desenhei letras e improvisava directamente na parede, mas ultimamente tenho desenhado muito e sem duvida que isso é importante. Agora falta-me tempo para os colorir, mas ai acho que o freestyle de fill in também resulta no momento...

Quem são as tuas maiores influências, no percurso que tens feito, seja a nivel nacional e internacional?
Cronologicamente: Exas foi a minha primeira influencia. Bytei-o escandalosamente em muitos sketchs que fiz. Em 2002 e ainda hoje, tenho fortes influencias do Cantwo, que ainda me consegue surpreender. O fenomeno MSK influencia-me também. Alguns LoveLetters e claro, Sofles.

Que achas da situação actual do fame em portugal, quem achas que anda a abusar e a elevar o nível do fame português?
Acho que há pouco. Nao vejo pessoal novo a investir em fame. Relativo aos que acho que estao a fazer um bom trabalho, o people do Porto esta forte, curto mesmo ver as produções deles. A malta da A-line também anda numa boa onda. Nao gosto de bazofias, mas acho que nao posso deixar de mencionar minha crew que também esta a contribuir para isso ahah.

Num panoramam mais internacional, achas q portugal esta a ser bem representado pelo mundo fora?
Vou falar do que vejo e neste caso, Dheo e Pariz. Estão a fazer um bom trabalho! Continuem.

Achas que os writers estrangeiros olham para portugal, como um país com writers capazes de "rivalizar" com outros países?
Portugal tem bons writers, acho que falta darem mais nas vistas. Estamos atrasados em anos de graff, mas mesmo assim temos evoluído rapidamente.

Que tens a dizer sobre as jams de graff em Portugal? Achas que deveria haver mais jams, haver uma rotatividade nos nomes presentes, haver nomes estrangeiros mais pesados, o que achas disso tudo?
Jams em Portugal neste momento ja sao praticamente inexistentes. Valorizo quem as organizou em tempos, sem duvida. Rotatividade? Acho que neste momento somos tão poucos que quase nem da para rodar... Writers estrangeiros sao sempre benvindos, aprende-se sempre qualquer coisa, trocam-se experiências, etc... Faltam jams em Portugal, alguém que se mexa para as organizar!

Em quantas jams já tiveste? Seja em portugal ou no estrangeiro, alguma que gostarias de estar mesmo, de corpo e alma, ou não tens muito interesse em jams?
Ja participei em algumas jams, só em Portugal. Gostava de estar numa jam no estrangeiro (nenhuma em especifico), pela experiência e acho que te ajuda sempre a levar o teu trabalho mais além.

Que produções tens que te marcaram pela positiva e outras que talvez não correram bem mas que mesmo assim em uma historia a contar.
Nao sei muito bem como responder objectivamente a esta pergunta, mas sei que ja houve muito graff que fiz que saíu uma merda e malta me vem dizer que gosta.

Qual é a tua defenição de graffiti? O que representa na tua vida, desde do início até hoje?
Graff é um bom estilo, cores, passar um/uns dias com amigos. Muito raramente pinto sozinho. Como ja disse, ja foi moda, hoje em dia nao sei definir, faz completamente parte da minha vida.

No meio desses anos todos, tiveste alguma actividade de bombing?
Sim, tive um período que fiz quase só bombing. Silvers em chapa de linha e auto estradas. Algumas coisas dentro da cidade também. Nessa altura estava sem paciência para me dedicar ao hall of fame e foi a forma que arranjei para estar activo.

Mesmo estando mais activo em fames, qual a tua opinião sobre o bombing em portugal?
Vejo coisas com qualidade. Embora nao seja a minha praia, eu gosto de apreciar um bom piece de bombing. No entanto sinto que ja tivemos tempos em que a malta saia mais à rua para isso.

Tens alguma actividade em trains?
Neste momento, zero.

Qual foi o feeling, e porque não pintaste mais?
Ja fiz trains. A adrenalina é power. Mas acho que cada macaco tem de estar no seu galho...

Faz uma lista dos writers que para ti, estão a elevar o game no hall of fame, a nível nacional e internacional.
Bray, Mosaik, Atsok, Seyr, Myster, Eko, Mar, Wize, Fedor, Dheo, Pariz, Pose, Trav, Askew, Does, Semor, Storm, Bonzai, Saturno, Vibes, Nichos, Katre, Reso...sei lá... Tantos... Valorizo bastante os que estão activos em hall of fame ca em Portugal. Sao eles que também me motivam a fazer pieces melhores. Tem de haver esta competitividade saudável. Dá vida à cena. Ultimamente tenho tentado jogar em patamares internacionais. Muitas vezes vejo fotos em simultâneo de pieces meus e de writers internacionais que curto e sinto que ja falta pouco :)

Algum writer que gostarias muito de pintar?
Muitos..alguns dos que disse anteriormente.

Uma coisa que te falte fazer, e que queiras muito?
Gostava de fazer uma produção de larga escala, fachada ou algo semelhante. Ia ser um grande desafio.

Daqui a dez anos onde esperas estar, que nivel queres atingir?
Gostava de estar sempre no meu máximo, mas como em tudo, ha sempre momentos de melhor forma. Tentarei nunca faltar aos treinos.

Daqui a dez anos estaremos aqui outra vez a falar?
Sem duvida que sim!

Indicações para os mais velhos e para os mais novos.
Dêem sempre o máximo em tudo! Inspirem-se em tudo! Se gostam mesmo disto sejam dedicados, caso contrario vão desaparecer à mesma velocidade que apareceram.

Últimas palavras.
Agradeço o vosso interesse e oportunidade de poder estar a dar esta entrevista.

Props.
Montana Shop Lisboa, ás minhas Crews THUNDERS e LEG, e a todos os que amam graff.

ÚLTIMAS NOTICIAS