BLOG

27
MAR'14
Feat. Seg Ak
Writers Bench 14
Nos tempos que correm, pintar está mais difícil, menos spots para pintar, mais writers activos e mais segurança para controlar. Quem não tem problemas com isso é o nosso próximo convidado, Seg Ak Crew, que não se demonstra intimidado, com qualquer tipo de barreira imposta por qualquer tipo de segurança. Para ele missão dada, missão cumprida, não existe limites, tudo até a foto perfeita do pannel perfeito.

O que te levou a entrar no mundo do graffiti?
O que me levou a entrar para o mundo do grafitti, foi gostar de tudo o que tinha a ver com artes. Foi no tempo da escola, a aula que mais curtia e não faltava, era educação visual e tecnológica, dava-me bem, tinha imaginação para desenhar, pintar etc.. Depois comecei a reparar no grafitti, e na altura pensei,  porquê não tentar. Fui ao Martin Moniz que era o spot onde se vendia latas, fiz uma peça e curti da sensação de pintar a spray e da peça feia que dei, mas não foi por ai que desisti, se não se tenta não se evolui.

 
Com que idade começaste a pintar?
Começei a pintar com 16 anos.


Nessa mesma altura como era o graff?
O graff na minha altura era graff, não havia net, nem muito contacto com o graff do resto da Europa, havia estilos próprios e o valor era muito maior que o de hoje em dia. Hoje o graff está ao alcance de todos em revistas, net, etc etc…

 
Como vês o pessoal que pinta hoje em dia, em comparação ao pessoal da altura que começaste?
Hoje em dia quem pinta tem material com mais qualidade , tem net , já não se esforçam para arranjar um estilo próprio, basta um clique na net e têem tudo, letras, fill ins , tudo e mais alguma coisa. Dou valor a quem mantém o estilo que não é da moda, e que já o fazem á muito tempo, dou o exemplo do fiesta e obey, bons bombers

 
Qual é o teu estilo de graff?
O meu estilo é meu, simples, bem feito e perceptível aos olhos de todos.

 
O que é para ti um bom writer?
Um bom writer para mim é aquele que se mantém fiel á sua crew, não lhe sobe as manias á cabeça e não se acha mais que ninguém. Desde sempre que prefiro um writer que esteja presente para o bem e para o mal e respeite quem o respeita e acima de tudo atitude.

 

Visual Damage, estas presente em muitos actions do DVD, queres explicar um pouco da sua história? 
O Visual Damage surgiu numa altura que tinha muito tempo livre, precisava de euros, e pensei, porque não fazer um filme, comecei a editar uns vídeos que tinha e surgiu o Visual Damage. Deu-me imenso gosto em fazê-lo porque ao editar lembras-te das missões e dos momentos que passaste, é sempre bom recordar.

 

Que mais writers tiverem presentes do DVD? 
Tiveram muitos writers presentes, o filme fala por si. Quem não tiver visto que dê o toque que ainda há filmes para vender.

 

Vemos que a tua maior actividade é em material circulante, qual é a quantidade de trains ou metros que pintas normalmente? 
Sem duvida que gosto a 100% de trains,  sobretudo o Sintra Line que é a linha do guetto, se pudesse era dia e noite a andar atrás dos trains. Já tive dias de pintar 7 comboios, como tive dias em que só pintei um, conforme as situações, sugas. etc... Subs não pinto com muita frequência, mas tento e faço, é outro ambiente outros métodos outras fugas, é tudo muito diferente em comparação aos comboios.

 

Das mais valor a quantidade ou qualidade?
Dou valor ás duas, qualidade e quantidade.

 

Que que te da mais piada num action? Preparar o spot, pintar ou um pouco de tudo?
O que me dá mais piada num action é tudo correr como planeado, pintar bem e ter a foto merecida, se aparecer o segurança a filmagem até tem mais piada, aparece com o boneco ..hehehe

 

Como lidas com os sugas que querem atrasar a vida de quem pinta?
Lido com os sugas conforme eles falarem comigo, se for a mal, passam mal, não tenho pena deles, armam-se em justiceiros depois admiram-se das pedradas e dos apertos que levam, se for a bem estamos bem até tira-se umas fotos juntos para relembrar. Já agora props ao grupo 8, strong e á CP

 

Quem achas que anda aí forte e a bombar cenas pesadas? 
Nos dias que correm, quem anda e tenho visto mais brutos é o Cola, Sega, Umpf45, 540 e os Reis. Tens alguns da nova geração que representam as suas cenas.

 

O que achas do pessoal mais novo a entrar para a cena?
Esforcem-se para fazer bem, porque pintar por estar na moda não vale a pena,  só estão sujeitos a problemas e a queimarem euros á toa.

 

Já viajaste?
Eu ainda não viajei, oportunidades não faltaram, a justiça é fudida... he he he

 

Que países gostavas de visitar?
O país que quero mesmo pintar é New York, o resto vem depois

 

Tens algum episodio de qual nunca te vais esqueçer na vida?
O episódio que não me esqueço, foi com um writer, um encontro estranho no back jump do areeiro. Um chibo, foi fazer queixa e mentir na PSP, se tinha os colhões no sitio procurava-me e resolvia da maneira que quisesse, agora virar chibo, fica o aviso, não está esqueçido.

 

Sentes que poderás continuar a contribuir para o graffiti tuga ou achas que ja não tens tanto interesse para o futuro?
Eu só vou deixar o graff quando for para a cova, já ando aqui á muito para deixar de fazer o que gosto, grafitti for life.

 

Ultimas palavras.
Um props para a montana shop&gallery, fico agradecido pela oportunidade.

 

Props
Um props para o Fiesta, Page, Badio, Oni, Task, Cola, Dibé, Ziller, Sizo, Umpf45, 540 á minha crew AK e a quem me apoia, abraço.

 


ÚLTIMAS NOTICIAS